<$BlogRSDURL$>

Do mal o menos

terça-feira, fevereiro 15, 2005

Filtro solar 



Usem filtro solar. Se eu pudesse dar-vos apenas um conselho para o vosso futuro, seria este: usem filtro solar. Os benefícios a longo prazo do uso de filtro solar estão cientificamente provados. Os restantes conselhos que aqui darei baseiam-se exclusivamente na minha experiência pessoal. E aqui vão eles:
Desfrutem do poder e da beleza da vossa juventude. Ou melhor, esqueçam, porque só vão compreender o poder e a beleza da vossa juventude, quando estes já tiverem desaparecido. Mas acreditem numa coisa: daqui a vinte anos, vocês vão olhar para as vossas velhas fotografias e compreender, de uma maneira que não compreendem agora, quantas oportunidades tiveram, e o quão verdadeiramente maravilhosos vocês eram.
Atenção: vocês não são hoje tão gordos como imaginam ser.
Não se preocupem com o vosso futuro. Ou, se quiserem, preocupem-se sabendo de antemão que essa preocupação é tão eficaz como tentar resolver uma equação de álgebra enquanto se mastiga pastilha elástica. É quase certo que os problemas que realmente terão importância na vossa vida, serão aqueles que nunca vos passaram pela cabeça, do estilo daqueles problemas que vocês se lembram às 4 da tarde de uma qualquer terça-feira ociosa.
Façam, todos os dias, pelo menos uma coisa que vos assuste. Cantem. Não tratem os sentimentos alheios de uma forma irresponsável. Não tolerem quem trate os vossos sentimentos de forma irresponsável. Relaxem. Não percam tempo com a inveja. Algumas vezes vocês ganham, outras vezes vocês perdem. A corrida é longa, e no final só podem contar com vós próprios.
Lembrem-se bem dos elogios que recebem. Esqueçam os insultos (se conseguirem isto, expliquem-me como se faz).
Guardem as vossas velhas cartas de amor. Atirem fora os vossos velhos extractos bancários. Façam alongamentos. Não se sintam culpados se não souberem muito bem o que pretendem da vida. A maior parte das pessoas interessantes que conheço não tinham, aos 22 anos, nenhuma ideia do que fariam na vida. E algumas das pessoas interessantes de 40 anos que conheço, ainda não sabem.
Comam imensas coisas com cálcio. Sejam gentis com os vossos joelhos: vocês vão sentir falta quando eles deixarem de funcionar.
Talvez vocês se casem, talvez não; talvez tenham filhos, talvez não; talvez se divorciem aos 40, talvez dancem a conga quando fizerem 75 anos de casados. O que quer que façam, não se orgulhem nem se auto-critiquem demasiado. Todas as vossas escolhas têm 50% de hipóteses de dar certo, assim como as escolhas de toda a gente.
Curtam o vosso corpo da melhor maneira que puderem; não tenham medo dele, ou do que as outras pessoas pensem dele – o vosso corpo é o vosso maior instrumento. Dancem, mesmo que o único lugar que tenham para dançar seja a vossa sala de jantar.
Leiam todas as instruções, mesmo que não as sigam. Não leiam revistas de beleza: só vos fazem sentir feios.
Aprendam a conhecer os vossos pais – vocês não fazem ideia as saudades que vão ter quando eles já não estiverem cá. Sejam simpáticos com os vossos irmãos, eles são o vosso maior vínculo com o passado, e aqueles que, no futuro, provavelmente não vos vão deixar pendurados.
Entendam que as amizades chegam e partem, mas que há um punhado precioso delas, que vocês têm que guardar com carinho. Viajem. Aceitem certas verdades universais: os preços vão sempre subir; os políticos serão sempre desonestos; vocês também vão envelhecer. E quando vocês envelhecerem vão fantasiar que, quando eram jovens, os preços eram acessíveis; os políticos eram nobres de espírito; e as crianças respeitavam os mais velhos. Respeitem os mais velhos.
Não esperem apoio de ninguém. Talvez vocês venham a ter uma reforma choruda. Talvez casem com alguém rico. Mas nunca saberão quando um ou outro podem desaparecer.
Não estraguem muito o vosso cabelo, porque senão quando tiverem 40 vão parecer ter 85. Tenham cuidado com as pessoas que vos dão conselhos, mas sejam pacientes com elas. Conselhos são uma forma de nostalgia. Dar conselhos é uma forma de resgatar o passado que está numa lata de lixo, limpá-lo e esconder as partes feias, reciclando-o por um preço maior do que realmente ele vale.
Mas acreditem em mim quando vos falo do filtro solar.

Mary Schimich, publicado no Chicago Tribune, 1997

Li aqui

Comments:
Trully american. Mas o Coroneu gostou :)
 
Grandes conselhos.......ora aí está!!!Fez-me pensar.......
 
{ ... no comments :) ... }
 
Estou a ler e a sentir as tuas palavras: "o quão verdadeiramente maravilhosos vocês eram." ou "Não se preocupem com o vosso futuro.", etc., etc..
Não me interessa muito quem as escreveu, onde as escreveu. Interessa-me, isso sim, que podiam ser minhas, podiam ser tuas, podem ser dum qualquer sem-abrigo da nossa cidade. Na procura das coisas simples, das coisas novas, da nossa satisfação, do banal, do diferente - de tudo o que não seja instituído ou devido por tradição ou outra lei qualquer - está o nosso saber viver! Talvez "aqui dentro" esteja aquela coisinha universalmente procurada por toda a gente, mas que nem sempre consegue ser definida.
 
conheces o tema Bigmouth strikes again, dos Smiths? a malha de gibson semiacústica é fabulosa!...
beijinhos ;-)
 
"Juro que não é SPAM!" Boa noite ... vim te convidar pra conhecer meu blog, desculpe a invasão ... aparece ... beijos
 
o post...de novo... :)
desta vez com bibliografia anunciada... ;)
desde outrora que tenho usado filtro solar!
 
Que texto delicioso!
 
lembro me dessas palavras porque alguem fez uma musica, nao me lembro quem agora, com esse texto exactamente(em ingles claro).
chamava-se mesmo sunscreen e era apenas a voz de um homem e uma batida bonita por tras.nao sei se alguem se lembra, eu sempre me questionei quem era o autor do texto.obrigado pla dica
 
lembro me dessas palavras porque alguem fez uma musica, nao me lembro quem agora, com esse texto exactamente(em ingles claro).
chamava-se mesmo sunscreen e era apenas a voz de um homem e uma batida bonita por tras.nao sei se alguem se lembra, eu sempre me questionei quem era o autor do texto.obrigado pla dica
 
lembro me dessas palavras porque alguem fez uma musica, nao me lembro quem agora, com esse texto exactamente(em ingles claro).
chamava-se mesmo sunscreen e era apenas a voz de um homem e uma batida bonita por tras.nao sei se alguem se lembra, eu sempre me questionei quem era o autor do texto.obrigado pla dica
 
Enviar um comentário

[Top]