<$BlogRSDURL$>

Do mal o menos

sexta-feira, fevereiro 11, 2005

Os males que nos acontecem 



Em todos os males que nos acontecem, olhamos mais para a intenção do que para o efeito. Uma telha que cai de um telhado pode ferir-nos mais, mas não nos desola tanto como uma pedra atirada de propósito por uma mão maldosa. O golpe, por vezes, falha mas a intenção nunca erra o alvo.

Jean-Jacques Rousseau

Cabe-nos a nós identificar a intenção, e não deixar que o golpe nos atinga o coração. Embora tenha ferido a nossa pessoa.

As coisas só têm a importancia que lhes damos. As atitudes ficam com quem as pratica.
São duas maximas que muito me têm servido para bem viver.

Haja luz!!!

Comments:
Ora aí está......duas máximas cheias de bom senso....Então gostaste de Natal?
 
É isso mesmo... O pior é quando achamos que a telha cai por acaso, e não reparamos que existe alguém no cimo a fazê-las descolar.
Beijinhos
 
Sem dúvida. Tento também nunca me esquecer disso mas nem sempre o conseguimos! Haja luz! (e um bocadinho de calor também não era nada mau! Hehe)
 
já reparaste que há comentários novos? tens toda a razão, como sempre. haja luz!
 
Nem mais. Se todos agissem assim haveria muito mais paz no mundo.
 
Olha, na sequência da opinião do JJR, olhamos mais para a intenção do que para o efeito, porque a nossa mente fica perante dois problemas para resolver: a dôr e a resposta. Se foi a telha, a mente culpa o azar ou o acaso e faz da dôr o fim do mundo; se houve uma mão maldosa, aqui o cérebro desdobra-se em trabalhos: ai, ai, que dôr dum raio, mas eu vou partir a cara àquele gajo!...
Claro que as situações e os acontecimentos têm o condão de activar uma atitude. Uma atitude de quem pratica a acção e, principalmente, uma atitude da pessoa a quem é dirigida essa acção. O grau de evolução de ambos, como seres espirituais, fá-los ter reacções condizentes. O mestre sabe que a resposta a uma provocação não é ripostar, mas também não é necessariamente oferecer a outra face!...
 
{ ... venho aqui em silêncio [quase sempre; descalço] e grito … e leio em voz alta … e profundo [realço] que gosto e aqui me sinto © de[mente] ... }{ beijos* e bom fds }
 
Já disse isto num comentário por aí:
Os blogs são formas de partilha. Poderemos partilhar ideias, conceitos, emoções, sentimentos... Quando escrevemos, extraímos um pouco de nós... e partilhamos com os outros!
Por isto mesmo, acrescentei o teu link no meu espaço.
Queres colocar o meu no teu blog?
 
Concordo contigo trintapermanente...as coisas valem o que valem e a importância que ganham somo nós próprios que a atribuímos...mas..."O golpe, por vezes, falha mas a intenção nunca erra o alvo".
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Concordo contigo que as coisas só têm a importância que queremos (e conseguimos) lhe dar. O problema às vezes é o conseguir não dar a importância ao que não merece o nosso aborrecimento.
Como diz Mia Couto em "Mar me quer":
"Sou feliz só por preguiça. A infelicidade dá uma trabalheira pior que doença: é preciso entrar e sair dela, afastar os que nos querem consolar, aceitar pêsames por uma porção da alma que nem chegou a falecer."
 
Acho que tens razão as coisas só nos atingem se deixarmos.
Por motivos imprevistos, ás vezes, fogem ao nosso control.
 
Li e reli, mais uma vez estou espantada com a prosa. Publica o outro.
Beijinhos da mãe
 
A tua mãe já está a ficar com dificuldades na leitura, tem de ler e reler para compreender.
Feita a graça, lá vai o comentário.
Diz-se que as coisas valem o que valem, mas como a vida é feita de vivências, não podemos ignorar a causa efeito da sociedade, contudo, podemos isso sim, valorizarmo-nos a nós próprios o mais possível, para não sentirmos tanto o efeito.
Beijinho do pai
 
maximas muito dificeis de por em pratica para quem tem um orgulho exarcebado e para quem seja hipe sensivel como eu.
 
Muito bom, este post. Que a luz esteja contigo!
 
um veneno o orgulho...

é uma dificil e importante separação a de que falas.

beijinhos.

ps- é bom que o virtual também sirva para encontros reais. quando apetece.não conhecia a blimunda e após algumas conversas no messenger combinámos um jantar. boa onda!
 
Enviar um comentário

[Top]