<$BlogRSDURL$>

Do mal o menos

domingo, abril 17, 2005

Fase do deja vu 



Devo estar a passar uma fase de DEJA VU.
A fase do deja vu é a fase pela qual passamos em que nos surgem pessoas do passado para podermos arruma-las.
I.e. estas fases servem para que cheguemos à conclusão que por indisponibilidade, insegurança, estupidez natural... um dia não concretizamos a oportunidade que nos surgiu e estas não se repetem.
Estas fases servem como que para nos dar lições de atitudes erradas e por isso são fases de aprendizagem.

Tenho essa nítida consciência!

Comments:
Olha...concordo contigo e vou mais longe....Toda a nossa vida é uma constante aprendizagem. Levamos tareia, damos com a cabeça nas paredes...ficamos feridas com'o carago...mas é para prendermos.( No meu caso em concreto é para aprender a não ser néscia)
Devemos sempre estar gratos pelas broncas que nos dão...porque elas só estão a contribuir para o nosso bem: a nossa aprendizagem...que fará de nós pessoas melhores...

Minha querida, desculpa vir para o teu blog desabafar...mas eu estava precisar. Ontem estive no blog do teu pai.

Hoje estou ...como que...irreconhecível...

Deixo um beijo,
Bshell
 
tenho esse deja ju nas semanas em que falo ao telefone com uma pessoa importante que se tornou amiga:)
 
A vida é feita de "testes".
Quanto mais difíceis são os testes, mais fortes nos tornaremos se os conseguirmos superar.
E, aprender com os próprios erros, faz de nós, pessoas melhores...
Dias felizes.
 
Como disses, esse deja vu é importante, não só para se ver o que nao se agarrou, mas tb para se dar valor a oprotunidades semelhantes que ocorram no futuro
*A
 
Oi, Trinta, obrigado pelas visitas que me tens feito. Tenho andado um pouco "afastado", e não sei se poderei continuar a ser regular, mas vou tentar. A peça que vim representar, neste teatro da vida, tem sido atribulada e tem cenas imprevistas (para mim), que provocam estados de alma menos bons, mas que me obrigam a manter desperto e consciente de que "esta é a minha tarefa".
Como vês, nem tudo são rosas…
Mas o teu "deja vue" é a prova das reencarnações sucessivas por que passamos. Mas não deves pensar que essas oportunidades "não aproveitadas" são para te dar lições de atitudes erradas. Nada disso! Procura ver a positividade em todos os momentos passados e vais concluir que eles foram necessários à tua evolução. Isso mesmo! Mesmo que penses o contrário, essas oportunidades foram degraus que subiste! Não duvides! Abre a tua consciência àquilo que és! O que estás a viver é a peça dum "teatro". E estás a representar como uma artista divinal. Pensa nisso!
 
Nada disso, a fase do deja vu é quando há um erro no programa matrix! Toda a gente sabe disso... :)
 
à primeira cai-se sem querer à segunda só cai quem quer.
A resposta.
A consciência de pertencer a um todo universal é um intuir subjectivo, da mesma forma que outros, sem provas concretas, intuem a existência de um Deus criador.
Existir? existimos, mas não individualizados e exteriorizados a um todo de que fazemos parte.
Os cinco sentidos são a forma condicionada, como tal enganadora da nossa existência.
Se por um lado ela não existe sem eles, por outro eles limitam a universalidade do pensamento, ficando este limitado ao mundo sensível. O homem não é capaz de pensar algo que saia fora do âmbito dos sentidos.
Não sei se fui suficientemente claro, possivelmente não, mas continuaremos a tratar do assunto. Da discussão nasce a luz.
Um beijo do pai
 
Como já disseram num comentário atrás, a vida é feita de testes. E esse deja vu pode ser uma espécie de teste. Para veres onde erraste ou se não erraste. E quem sabe para veres se mudaste (ou não). Infelizmente as pessoas certas nos momentos errados dão mau resultado. Mas também e com os enganos e desenganos que nos tornamos mais fortes e amadurecemos.
 
{ ...

venho deixar[-te] um mimo:

querendo

estou sentado em suavidade
esperando que a tua meiguice
semeie poemas, sentimentos
e amores em ternura e brandura.
estou em pleno de tua beleza
perturbado, imóvel, querendo
sentir-te em simplicidade.
estou deleitoso, feliz e tomado
em teu corpo flor, querendo
desejoso em delícia achado
estou sentado esperando.
© biquinha

beijos*de*saudade*nesta*falta*de*tempo

... }
 
Olá. Antes de mais nada, agradeço a tua visita ao meu blog. Aqui estou a retribuir e a meditar naquilo que acabaste de escrever. Também eu estou nos trinta permanentes desde Outubro do ano passado. Nunca pensei que com esta idade, pudesse olhar para trás e admirar tudo aquilo que já passei, as pessoas que pude valorizar, ou deveria ter valorizado mais. Todos os momentos bons e menos bons que vivi e que continuarei a viver. Provavelmente não me arrependerei de nenhum. Mesmo aqueles momentos menos bons, penso que eram necessários para poder construir o edifício do meu ser. Aliás, esse edifício ainda não está concluído, necessitando todos os dias de mais «pedra, argamassa e madeira»... Assim somos nós, todos os dias reinventados e acrescentados, mesmo nos momentos em que quase sentimos que o mundo está contra nós, ou não nos compreende. Hoje sou eu que desabafo. Sabe sempre bem. Obrigado
 
Quando conseguimos aprender alguma coisa com aquilo que vivemos, significa que já valeu a pena, por muito errado que possamos considerar que foi.

Quanto às oportunidades não se repetirem, isso é verdade, mas decerto que haverá outras novas e diferentes nas quais nos temos de focar hoje pois temos de decidir se as vamos experimentar ou não!
 
olá Patricia!ando a passar por uma dessas fases, isto, porque, não tenho mais nada a que me "agarrar".
beijos, mil beijos
 
Ora nem mais
 
O meu melhor amigo diz que deja vu significa que estamos no caminho certo. Eu, pessoalmente, gosto de aceditar nisso. Beijokas, Betty :)
 
Não sei...
Às vezes só serve para nos mostrar que a nossa aitude foi a mais correcta. Dá-nos a certeza de um passo inseguro!!
De qq forma, acho que tudo o que acontece tem uma razão de ser...
 
Enviar um comentário

[Top]