<$BlogRSDURL$>

Do mal o menos

domingo, abril 10, 2005

Paixão, paixãããão... 



Tudo, só vale a pena ser vivido com paixão e envolvimento. Não consigo só gostar muito. Do morno. Nunca me interesso de uma forma tranquila e amena, nada disso: ou não gosto ou estou loucamente apaixonada. Infelizmente apaixono-me muitas vezes e amo raramente. Só aquele nó no estômago justifica o que merece ser vivido. E para mim, será sempre indicio para viver uma paixão. Dure o que durar.

É muito difícil encontrar o "balance" com alguém porque as pessoas têm tendência para conter o seu envolvimento [inicial] por julgarem sinonimo de maior compromisso. Quando apenas tem a ver com a intensidade com que as coisas são vividas.

That's all.

Comments:
Já fui assim... agora estou na fase do Amor e assim me conto manter.
*A
 
Exactamente. Sem tirar nem pôr...
Beijinho.
 
Sinto-me triste. Imagine alguém, completamente dependente de dar e receber carinho. Alguém completamente entregue ao coração e que vive em função de amar, de se dedicar e de viver intensamente o sentimento, sem medo do sofrimento, apenas sonhar e se entregar ao sonho, como se ele fosse realmente a minha eternidade, viver de amar. Imagine um coração que pulsa calor, carinho, cuidado, atenção e amor, sozinho, sem ter com quem partilhar tanto sentimento afogado em mim mesmo! Assim estou ou mesmo, assim sou, não sei ao certo. Eis-me!
 
Fantástico! É assim mesmo! Paixão, paixão, paixão! Há alguma coisa mais arrebatadora? Há alguma coisa que nos deixe tão lá em cima? Adoro particularmente o início, o despertar da paixão, aquele estremecer, aquele não pensar em mais nada, as borboletas na barriga, ou quando ,lembrando Alberto Caeiro: "Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio." Quem sente assim... sabe como é bom :o)

Claro que o ideal é o amor apaixonado... mas isso...

Beijinho grande
 
Oh trintinha! Já chega!! Não te quero sentir mais nesse vórtice!!
Mil besos do Olimpo
 
Revi-me completamente nas tuas palavras, tb não sou mulher de meios termos....ou tudo ou nada!!!!!
Gostei do POST!
 
Tudo, só vale a pena ser vivido com paixão e envolvimento ponto final paragrafo.

Não entendi a inveja que dizes sentir trintinha. óspois explica
 
http://mestressan.blogspot.com/2005/04/solido-de-um-anjo-ale-110405.html - Um abraço (ALE)
 
Estou completamente de acordo de que tudo na vida deve ser vivido com paixão e envolvimento. Só assim nos apercebemos da beleza das coisas e das pessoas.
No trabalho, no relacionamento, na contemplação, na atitude.
Isto não significa que, face a paixões desordenadas e doentias, te deixes ferir ou magoar naquilo que tens de mais teu: a tua sensibilidade, os teus sentimentos. Antes de "caires" em paixões imprevisíveis, tens que defender, primeiro, "aquilo que és"; não podes deixar alterar "a tua paz interior", "a tua alegria interior", "a tua verdade interior".
Do teu envolvimento com alguém ou com alguma coisa, vai depender o equilíbrio que assumirás nas tuas decisões e acções. Nunca deixes que esse alguém ou essa coisa deteriore a tua verdade interior. Se sentires um sabor amargo ou um incómodo inexplicável, perante um acontecimento ou situação, deixa falar o primeiro reflexo ou a intuição. Geralmente é a nossa melhor amiga. Escuta a tua alma, deixa que seja ela a "ver" primeiro e a decidir!
 
"...A vossa razão e a vossa paixão são o leme e as velas da vossa alma navegante.
Se as vossas velas e o vosso leme se romperem, mais nao fareis que embalar-vos e ir À deriva ou ficar em ponto morto no meio do mar.
Porque a razão, governando sozinha, é uma força que restringe; e a paixão entregue a si mesma, é uma chama que consome até causar a própria destruição.
Portanto deixai que a vossa lama exalte a razão até ao cume da paixão, para que a vossa paixão possa cantar..." - Khalil Gibran
 
Se assim é, muito bem. Mas a maioria das pessoas a quem o Coroneu ouve dizer tal coisa, dizer "ou tudo ou nada" não têm um comportamento real assim... Cheers e bom regresso à normalidade :)
 
Pois... também sou assim. Custa mais quando dói mas também aproveitamos mais quando é bom :) Só assim vale a pena viver! Beijokas, Betty
 
Pois também eu vivo assim, com paixão pelas coisas, pelas pessoas, pela vida.
Custam-me os meios termos, os "pois", os "talvez", os "quem sabe".

Mas depois sofremos por ser assim. Porque as paixões custam caro.
 
A vida deve ser vivida com paixão.
Deve-se mergulhar de cabeça....o problema é que as pessoas têm medo de ir de cabeça...pq ainda antes de começar, já estão com medo do fim
 
Vale sempre a pena quando a alma não é pequena, e quando a alma é grande, que venha a paixão, sem ter medo da sua duração
Beijinho do pai
 
"as pessoas têm tendência para conter o seu envolvimento [inicial] por julgarem sinonimo de maior compromisso"

Disseste uma grande verdade, e que pena é que assim seja. A vida sem intensidade não vale a pena ser vivida.
 
Paixão é boa enquanto dura, normalmente dura pouco.
Beijinhos
 
A paixão é tão necessária como o amor. Mas um sem o outro...não sei não, trintinha. Beijos para ti

P.S.- Continuo a ter uma dificuldade imensa para abrir o teu blog
 
Também me estou sempre a apaixonar, ainda bem, se não me acontecesse ficaria preocupado comigo mesmo!
Beijinhos
 
Vim só dizer-lhe que a conheci através do seu pai, um blog que me habituei a ler. Voltarei com certeza e comentarei alguns dos seus posts.
 
That´s it!
Olá!
Tive o prazer de chegar aqui através do blog do teu pai e gostei muito do que li aqui... Voltarei, sempre!
Bjs e bom fim de semana!
 
Paixão vs. Amor?

Ou será que, contra tudo aquilo que nos é ensinado, complementam-se em vez de serem antagónicos.

É certo que queremos sensações fortes, que os pêlos fiquem em riste, apenas amaciados pelas constantes mãos da nossa paixão. Essa paixão que é quente, que nos enleia ou enfurece mas, acima de tudo nos coloca no etéreo. Depois, se tiver sido bem doseada poderá dar lugar ao amor. Quiçá? Só vivendo, de preferência com paixão e amor, é que poderemos sentir-nos minimamente realizados.

Continua!!! Tens um bom precursor, o teu pai.
 
Enviar um comentário

[Top]