<$BlogRSDURL$>

Do mal o menos

terça-feira, abril 05, 2005

Quando o umbigo fala mais alto do que o coração II 




A satisfação dos nossos interesses e o querer concretizar o que imaginamos como ideal, ofusca-nos.
Facilmente substituímos o nosso coração pela razão, desvalorizando os nossos sentimentos; ou melhor, guardando-os no baú do esquecimento. Baú este, muito traiçoeiro porque ao arrumar impede-nos de ajuizar, reflectir e decidir, apenas esquecemos, o que é bem mais facil.

E seguimos em frente com a certeza de que vamos encontrar o que queremos, ignorando os gritos vindos do nosso coração- descartando-o, como se a sua importância- de repente- fosse nenhuma.

E assim, levianamente, substituimos a certeza de um amor pela possibilidade de encontrar alguém compativel com o nosso umbigo.

É esta percepção do tremendo erro por mim cometido e impotencia face a ele que me tem acompanhado nestes meus dias de dor. Daqui ao desespero é um passo.

Tem sido uma aprendizagem- de facto- mas para o futuro... onde já não mora nada daquilo que eu quero.


- E AGORA!?

Comments:
...li um comment teu no blog do Prof. JMV onde habitualmente tb comento... há ali no teu comment um grito, um pedido de ajuda?...
...julguei divisar esse intento
...eu não tenho como te ajudar de forma científica... mas as minhas palavras escritas aqui e acolá talvez te dêem uma resposta...
...o desafio é: visita-me; senta-te um pouco em frente deste teu monitor e depois de clicares no meu link, lê-me aos poucos...
...é a única forma pela qual me dou numa tentativa de dar a "mão"
...e, na verdade, amar é o caminho de qualquer um de nós...
:) *
 
Deixa-me ver se consigo dizer-te alguma coisa de jeito.
Quando decidimos racionalmente, nada tem de errado. Os nossos sentimentos são a linguagem da alma e, portanto, não estão esquecidos nem nos atraiçoam. Os degraus que subimos nunca são "tempo perdido", pelo contrário, são sempre experiências adquiridas.
Quando decidires aquietares-te, fala serenamente "contigo" (se acreditas em Deus, fala com Ele!), e analisa o que pensas ter feito de "errado". Vais chegar à conclusão que "o que fizeste" foi a melhor "criação de Ti" que idealizaste para aquele momento. AGORA, o momento é outro! Vais recriar-te de novo, e, OUTRA VEZ, na melhor versão que idealizas para "seres Tu"! Nunca desprezes "o" que fizeste antes! Nada está a acontecer por acaso.
E… o futuro??? O futuro é uma projecção que a tua mente está a fazer, com base naquilo que aprendeu até agora…
Mas a tua mente Não És Tu! És mais do que isso! Não te deixes apoquentar por ela!
E AGORA? … Tudo o que estás a viver é "um jogo"! É tudo uma ilusão! O AGORA é o teu momento mais importante! Utiliza-o! O teu MOMENTO DO AGORA dá-te a liberdade de Seres o que quiseres Ser!
 
Ai ai o amor...
Raios o partam!
 
Oh minha doce Trinta! Esta tua bela prosa, carregadinha de emoção e sentimento retracta o que vives neste momento? Ou é simples imaginação? Gostava de perceber...em cujo caso, um beijo celestial, lá do Olimpo!
 
Como te compreendo. Vivo uma paixão utopica por querer dar ouvidos à razão... aquilo que supostamente dei como mais correcto, como certo para mim. Pelo caminho vão ficando sonhos, desejos e muito amor que de tão esqueçido, ficou perdido.
 
Ai!!!
Não pode ser!
Mesmo que doa muito viver!
Bj
 
Oi,

Você tem uma alma bem parecida com a minha...tenho um blog que fala muito de dor, amor, sentimento, desilusão, humor...muita coisa de mim...se quiser e puder visite-o! Mas na verdade estou aqui pra dizer que gostei muito do seu blog e gostaria de ter a sua permissão para por um link do seu blog no meu! Grato (Ale)
 
Olá :o)

Há sempre um caminho, há sempre um meio de reparar o que parece perdido, destruído, esquecido. E se o tentarmos e conseguirmos, esse será o momento em que provamos o valor, importância e grandeza desse amor.
Se não conseguirmos, então é porque não era tão importante assim... ou, pelo menos, um dos lados não o estimou devidamente, para nem sequer admitir o perdão.

Sendo bem verdade que os caminhos do coração são muitas vezes contraditórios com os caminhos da razão e que isso nos coloca apertados dilemas, partilho aqui um poema de Miguel Torga:

CÂNTICO DO AMOR

"Ama quem amas, como o vento
Ama as folhas de olmo
(Amor que lhes transmite movimento
E alegria.)
Asa que possa andar no firmamento,
Só caminha no chão por cobardia."

Um beijinho solarengo :o)
 
Porque dizes"...o futuro-onde já não mora o que quero" chama-me realmente a atenção. Que perdas há que sejam irreversíveis? Talvez a morte de alguém amado; um dossier
cremado por um incêndio;a vida.

Fora isso, temos o oxigénio, um coração que pulsa, o amor que anda por aí e um dia volta a reparar em
ti...
 
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
 
Nunca é tarde para arrepiar caminho. O primeiro passo está dado, quando reconheces que não estavas no caminho certo. E Agora?
Ir em frente, soltar o coração e esvoaçar ao vento.
Se pensares bem terminas o teu texto com uma contradição do que escreveste. Terminas dizendo que no futuro já não mora nada do que queres, ou seja de acordo com o teu umbigo.
O desepero é para os fracos, quando têm de enfrentar algum problema, o que não é o teu caso, até pelo contrário. Não procures encontrar culpa na na tua falta de culpa.
Sê TU PRÓPRIA, como o queiras ser, mas sê TU e não te queiras transformar noutra pessoa que não tem nada a haver contigo, mas não te esqueças que o mundo não pode girar de acordo com os teus quereres.
Um beijo do pai
 
Um optimo fim de semana para ti, doce Trinta. Escreve, escreve! Solta os teus demónios!
 
que estranho, lembro-me qd comecei a comentar no teu blog, que era o equilibrio instavel já lá vai bastante tempo, em que entretanto mudaste de blog, eu tb mudei de "casa", mas lembro-me de ver textos teus, que transpareciam alguma serenidade e estabilidade emocional. eis que, passado tanto tempo sem comentar os teus textos, deparo-me com textos que transparecem uma forte instabilidade e uma mágoa que eu depreendo vir directo do coração!! algum problema amoroso sério? entretanto tb a minha vida amorosa mudou, e sabes que mais? incrivelmente o que escreves aqui aplica-se a mim, na razão inversa. tb costumava construir um futuro ideal, com alguém ideal, cheio de objectivos dos quais nunca abdicaria... eis senão qd encontro o meu amor - onde e qd menos o esperava. todos os meus idealismos foram por água abaixo e em boa hora pois hoje tenho algo bem mais importante que vagas ideias de "como será?", é vdd que sou um romantico e sonhador inveterado e é facil seguir o caminho do meu coração, deixando o racionalismo para trás (se calhar nisso somos diferentes) mas eu n acredito que seja mt diferente de todas as outras pessoas. isto tudo para te dizer que o que tu sentes neste momento n passa de uma ilusão, uma ilusão amarga pq te falta algo, mas pensa que a realidade é a tua vida presente, é o horizonte que é infinito e que tu olhas de frente sabendo que tens um mundo vivo e dinâmico à tua espera, a realidade é estares viva, que é a maior dádiva que podemos ter. e qd um dia encontrares de novo o amor, olharás para trás e pensarás no qt tempo gastaste agarrada a uma ilusão. liberta-te, olha para o céu e sorri! segue em frente!

enfim, foi a maneira que encontrei para te tentar ajudar. bjinhos e força. fica bem********
 
está a ser dificil, alguns que comentam pecebe-se que não sabem pelo que passaste recentemente. coragem! olha o sol, a natureza...
lembra-te do bom.
beijos
 
Enviar um comentário

[Top]