<$BlogRSDURL$>

Do mal o menos

segunda-feira, maio 02, 2005

Ser independente 



Somos todos muito independentes, auto suficientes, de forte carácter, determinados em conseguir o que queremos. Bem sucedidos.

Até um dia…

Achamos que na vida tudo é reciclável. Que existem quereres diferentes para alturas diferentes e por isso justificamos as nossas relações passageiras de maior ou menor continuidade.

Até um dia…

Quando o amor bate à porta.
Passamos de independentes a dependentes, de auto suficientes a insuficientes, de fortes a vulneráveis, de determinados a indecisos, de bem sucedidos a frágeis.

Colocamos a nossa felicidade nas mãos de quem amamos, legitimando todas as suas atitudes, bastando-nos o seu amor. Este estado de graça permite abrir mão de verdades tidas como absolutas em prol desse amor.

Esquecemo-nos é que este tipo de entrega raramente é valorizada mas usada em proveito de quem com ela beneficia. Falsamente achará que é o dominador e como tal estará tudo na sua mão “no mater what”.

Até um dia…

Quando a separação se torna inevitável.

E é então que sofremos um profunda mudança impulsionada pela lição que daí retirámos. Prontos para começar de novo.

Comments:
a ler e a encontrar-me em algumas destas palavras, dei comigo a trautear uma canção de que gosto muito...

Começar de novo

(Ivan Lins e Victor Martins)

Começar de novo e contar comigo
Vai valer a pena ter amanhecido
Ter me rebelado, ter me debatido
Ter me machucado, ter sobrevivido
Ter virado a mesa, ter me conhecido
Ter virado o barco, ter me socorrido
Começar de novo e contar comigo
Vai valer a pena ter amanhecido

Sem as suas garras sempre tão seguras
Sem o teu fantasma, sem tua moldura
Sem suas escoras, sem o teu domínio
Sem tuas esporas, sem o teu fascínio
Começar de novo e contar comigo
Vai valer a pena já ter te esquecido
Começar de novo...
 
amuada? a vida é feita de etapas, acaba-se uma começa outra, e cada uma que ultrapassas ficas um ser humano mais forte, jinhos
 
HMMMMMMMM ... hoje finalmente deixo um comentário : mudar sim, mas quando? como? e valerá a pena? POIS, mudar exige sempre respostas, demasiadas respostas! Beijos e abraços ...
 
E não é isso mesmo, a vida? - Um constante recomeçar e uma constante redescoberta?
Olha em volta. Algo te fará sorrir.
Um beijo.
P.S. Foi a 1ª vez que aqui vim. Gostei muito.
 
Faço minhas as palavras do "zezinho". Afinal sou ele.
Vou voltar com toda a certeza.
 
Até que um dia... se encontre alguém que não vai tomar esse amor por garantido e que ao contrário lhe corresponderá com a mesma entrega, não? eu acho que sim! :)Parabéns pelo blog, gostei!
 
Eu acho que a merda é sempre a mesma, as moscas é que mudam.
Desculpa este comentário cínico(como diria um amigo nosso...),na verdade sabes que não penso assim, é só para chocar.
 
Gostei bastante do teu post. É assim que as coisas acontecem... até um dia... em que a entrega é valorizada, o amor é correspondido e tudo corre às mil maravilhas.

Calculo que estás a pensar que isso só acontece nos contos de fadas e esses não são reais. Mas são essas coisas que nos fazem viver e acreditar. Algum dia havemos de acertar e ser felizes ou não?

Se nos fecharmos no casulo da independência e da auto-suficiência provavelmente acabaremos por ser tão infelizes como nas alturas de separação.
 
Gostava muito que também tivesses gostado da minha escrita.
Um beijo
 
Qaundo me entrego dou a cópia da chave do meu coração e fecho a porta. não entra mai'ninguém. sem medos, trinta, sem medos.

Se houver problemas... parto o coração para entrar e volto a colar os pedacinhos. e mudo a fechadura.

boa semana, amiga.
 
O "Letras" tem os comentários fechados, por uma série de razões que um dia te poderei explicar.
Deixo-te o meu endereço de e-mail:
letrasaoacaso@hotmail.com
Beijo
 
É bom ouvir esse "prontos para começar de novo". E é assim que deve ser encarado tudo o que nos "passa" pela frente. Não tenhas dúvidas. Vamos ter que recomeçar, sempre. Isto ou aquilo acaba por ser, sempre, uma recriação quase obrigatória. Acabamos todos "por descobrir" que nos estamos a descobrir a nós mesmos, em cada dia que passa.
E nessa descoberta, também irás descobrir que não podes colocar a tua felicidade nas mãos de ninguém, a não ser nas tuas mãos. A felicidade é coisa que tu constróis, com a tua verdade e os teus sentimentos.
Há por aí tanta gente feliz, amiga!
E há por aí tanta felicidade alimentada com outras formas de encarar a vida, que não seja a dependência e o saudosismo!
 
No dia 27 fiz-te o convite para a "corrente literária".
Talvez tenha passado despercebido…
 
Ciclos, fases...
Por vezes, as lições que retiramos das vivências não nos impedem de voltar a cair nos mesmos erros. Não podemos mudar a nossa forma de sentir, amar e entrega. Ou somos nós, ou não somos. E a ingenuidade tem de fazer parte pelo menos de um período do amor.
 
amar sem limites, entregar-nos, sofrermos e começar tudo de novo! O que seria a vida sem isto? Que graça teria? Que sentido teria?
 
E não é que voltamos a fazer o mesmo, será porque temos prazer em sofrer? Não. Mas a vida é um constante renovar, não vale a pena preocuparmo-nos muito. Sempre em frente, nada como sabermos o que nos reserva o futuro.
 
Mas a graça da Vida está justamente em poder começar de novo... e sempre... e sempre com nova disposiçao para enfrentar o que viver por diante!
Beijos!
 
Bom dia Trinta,
Obrigado por suas visitas no meu blog! Quanto ao assunto eu também acho bom esse recomeço, mas em relação ao amor eu quero um dia não ter que ficar recomeçando com outro, mas sempre com o mesmo amor e se possível pra sempre! Beijos - (ALE)
 
De volta e em busca e coisas novas. PAproveitei e andei a ver outros posts. Entendo agora pq tens muitas visitas. O blog é óptimo.
Beijo
 
Aproveitei (errata)
 
parabens pelas tuas palavras:) concordo com tudo..´menos com uma coisa... "prontos para começar de novo"...pq à coisas que deixam marcas....infelizmente
 
Enviar um comentário

[Top]