<$BlogRSDURL$>

Do mal o menos

quarta-feira, agosto 31, 2005

Blog addict 



- Deixa-me ver os comentarios. Eu vou já!


[Deixo aqui um desafio...
Até que ponto vocês deixam os blogs interferir na vossa rotina diária? Sentem a necessidade de postar e visitar outros blogs com regularidade, se não o mundo blogosferico sucumbirá com a vossa ausência? Condicionam a vossa vida em função duma obrigatoriadade de publicação regular dos vossos blogs?
E como é que os parceiros (re)agem em relação a este vosso interesse? Participam, não participam. Optam por também ter um blog? São inseguros e andam a ver quem visita e quem é que visitam e qual o teor dos comentários?
Os parceiros também podem responder.
BE HONEST!!]

(26) comments

segunda-feira, agosto 29, 2005

Síndrome Bridget Jones 


Existe uma nova geração nos trintas que pretende prolongar a sua juventude até onde e quando puderem. As mulheres nestes casos ou ainda não saíram de casa dos pais ou têm casa própria porque o ordenado assim lhes permite. A questão fundamental aqui é não perder a qualidade de vida. Vivem tal como a protagonista do filme divididas entre o que devem e querem fazer.

Por um lado não querem abrir mão das paixões arrebatadoras e da liberdade de poder vivê-las em pleno. Das viagens. Dos interesses próprios, sempre inadiáveis. Da liberdade de acordar pela manhã e decidir o que lhe apetece fazer. Da ausência das obrigações conjugais e/ou familiares.

Por outro lado, tal como bridget, existe uma sociedade estruturada onde o seu modo de vida não se encaixa. E todas as situações constrangedoras [tão bem retratadas no filme] que daí adveiem. Já não tem amigas single. Os casais que conhece só se dão com casais, pois uma mulher sozinha pode causar algum problema…(???) Para além do que vê ao seu redor não lhe agradar; escravos do trabalho ou dos filhos, dificuldades financeiras para sustento de níveis de vida familiares não suportáveis e infidelidades "a dar com um pau". Sim porque todos temos e gostamos de arrebatamentos, a questão é de sermos honestos com nós mesmos ou não. A questão é saber se estamos dispostos a abdicar de os viver.

O problema surge quando aparece o mr. Right e ela acha que ainda tem que viver o mr. Wrong. Porque no fundo é a dualidade que divide as mulheres que sabem muito bem o que querem sem terem que passar por modos de vida impostos pela sociedade que as espartilham.

Mas como não há bela sem senão, com o passar dos anos os Mr. Wrong, já são wrong demais e já não têm ponta por onde se lhes pegue e os Mr. Wright já os pegaram.
O que deveria a Bridget Jones fazer?

(18) comments

sexta-feira, agosto 26, 2005

Perdição 




Trocar-te as voltas

Pôr-te doido

Provocar-te

Ludibriar-te

Eriçar-te

Enrolar-te nos porquês e nos talvez

Atar-te nestes jogos de sedução

Ver-te à toa

Saber que te tenho a um qualquer sinal meu

Adoro como me adoras

Tens-me sem saberes.

(12) comments

quarta-feira, agosto 24, 2005

Menina-mulher 


Foto daqui



Vivo fazendo depender as minhas escolhas das
fantasias, sonhos e imaginação

mas não consigo nem me quero contrariar. quando crescer serei um senhora.

(18) comments

segunda-feira, agosto 22, 2005

 

- Senhores passageiros, aproximamo-nos de Portugal. Peço-vos que olhem pela janela. Diz o comandante do avião.

De súbito, todos olharam incluindo a tripulação e fez-se silêncio.
Avistavam-se varias manchas de fumo que impossibilitavam ver o território.

E no meio do silêncio e da emoção o comandante acrescenta;
- O país está arder.

Viam-se lágrimas nos olhos de todos aqueles, que ali, testemunhavam a catastrofe.

(13) comments

sexta-feira, agosto 19, 2005

Vingança: uma estória para esquecer 



E eis que surgia a oportunidade da vingança. Tentar fazer pagar com a "mesma moeda" o que a desagradou. E fê-lo sem piedade.
Estremeceu. Pena? Estranho sentir isso.
Duas ou mais vezes sentiu lágrimas nos olhos, lágrimas de emoção. Mas que sentimento estranho este, posto que nunca se permitira sentir, nem pensar em nada que não fosse apenas na vingança. Agora, nesses poucos minutos, abaixando a guarda, estava aturdida com as sensações dela emanaram, confusas, sem definição ou forma. Uma coisa forte no coração... como quase uma paz. Apercebeu-se que nada daquilo fazia sentido.

Mas... ele aproveitando-se deste baixar de armas aplica-lhe o mesmo golpe que tinha anteriormente originado a sua vontade de vingança. Ela nem queria acreditar. Para além de todo o seu plano ter ido por "àgua abaixo", ele, com requinte intencional, aplicou-lhe o mesmo golpe.
Tudo tinha voltado ao início com a agravante da derrota e da humilhação.

Era como se ela tivesse morrido e renascido. Morreu a inocente e renasceu num desejo de vingança acompanhada agora de odio puro. Quando a inocência morre, nasce a ironia que é irmã do ódio, filha da dor, noiva da imbecilidade Era o assombroso efeito da vingança. Mal dormia e mal comia, pensando numa maneira de o destruir, arruinar. Às vezes sentia-se só, perdida no conflito de suas emoções e quando durante as madrugadas o ódio lhe subia ao coração, rolava de um lado para o outro da cama, sem conseguir esquecer. E essas lembranças torturavam-na. Quando a angústia atingia um ponto intolerável, ela gemia. Gemia, porque não se permitia chorar. Gemia alto, com suas feições se deformando.

Dentro dela crescia uma ansiedade gelada. Mentalmente via e revia as cenas.

Agora só pede desesperadamente- ao tempo que, ao passar, reduza a intensidade do ódio que a impede de viver e que torna a sua existência insustentavel. Porque quanto a ele- insuportavelmente- já não havia nada a fazer.
E deseja que a reacção dele não coincida com a sua intenção e que por isso viva com um insuportavel sentimento de culpa de um proposito/ desejo não concretizado, por um dia ter preferido a guerra à paz. Porque jamais verá um olhar ou ouvirá uma palavra sua. Dela só terá a gelada indiferença.
E será esta a sua vingança.


"O amor perguntou ao ódio: Porque me odeias tanto? O ódio respondeu: Porque um dia eu te amei demais."

[texto adpatado]

(13) comments

quarta-feira, agosto 17, 2005

- Vamos variar? 



David Vance

(8) comments

terça-feira, agosto 16, 2005

Hetero-gay 



Existem certo tipo de homens que, pela sua maneira de estar e ser,
diríamos gay. Mas não são.

Soube duma amiga que tinha este amigo, muito próximo.
E nós perguntávamos:
- então… e não se passa nada!?
Ao que ela prontamente respondia:
- claro que não! Somos amicíssimos. Não vês que é gay?
De facto, tinha um lado sensível muito apurado e era todo afeminado.
Incapaz de despertar a libido de qualquer mulher.

Fugia de baratas e aranhas. Era péssimo em electricidade e mecânica.
Detestava ficar/ chegar sozinho a qualquer lugar.
No trânsito se algum macho condutor se exaltava, fugia.
Adorava decoração, jardinagem e fazia questão de ser sempre ele a cozinhar.
Para além de não lhe identificarmos qualquer insinuação
ou gesto de desejo por essa minha amiga.
A sedução era inexistente.
- eu nem o vejo como homem; afirmava ela.

Mas um dia decidem ir de ferias e partilham quarto e cama. Porque não?
E eis se não quando ela tem uma inesperadíssima surpresa.
O seu amigo afinal não era gay, muito pelo contrário.
Era conhecedor de tudo o que era feminino, e pelos vistos, lato senso.

Ainda hoje, dou comigo a olhar para ele com aqueles trejeitos e
rompantes e aquela voz bem afinada, e a interrogar-me como puderam casar?
Alguns nossos amigos gays afirmam convictamente que a ele apenas
ainda não "lhe saltou a pluma".

Estes hetero-gays têm algo com que as mulheres se identificam e gostam,
mas será que as atraem?

(12) comments

domingo, agosto 14, 2005

É hoje!!! 



Será que depois do concerto vão até ao LUX?

Pelo sim, pelo não vou até lá...

(4) comments

terça-feira, agosto 09, 2005

Dia 12 farei anos 

Poderão encontrar-me aqui:




Foto roubada aqui


(31) comments

domingo, agosto 07, 2005

[advice] 



never underestimated a lion woman

if you're careless, she'll ignore you

if you're a game player, she'll leave you playing alone

if you take her for granted, she'll turn it all around

if you love fighting instead of understanding,
when you look around she won't be there

but..

if you take care and show that you're crazy about her,
you'll have the best time of your life

(9) comments

quinta-feira, agosto 04, 2005

Thank god i have one! 


(16) comments

quarta-feira, agosto 03, 2005

Obrigada 



Para o Yardbird que tão bem sabe os meu gostos
e que me dedicou um post no seu novo blog de musica:



Estas flores são tuas. Um chuac enorme!


(3) comments

terça-feira, agosto 02, 2005

Vida de Guincho 



De manhã levanto-me, pego na bicla e dirijo-me ao Guincho. Na ciclovia ainda se vê o orvalho matinal e cheira-se a maresia.
Chego à praia, estendo uma toalha. E um livro, um mp-3, muita fruta e àgua vão ser a minha companhia.
Ao fim da tarde vou até ao bar da praia, onde ao som de reagge, bebo um chá frio e converso com os surfs e beach addicts que vão aparecendo. Nesta altura tenho duas hipóteses ou volto para casa e vou até às minhas aulas de yoga e body-balance ou sigo para uma aldeia, ali perto, duma simplicidade encantadora, onde por “tuta e meia” janto num qualquer restaurante do tio Zé ou do tio Manel, ou da Dona Maria.
[Posso também saltar a praia e ficar calmamente na minha piscina :)]
À noite fico em casa a curtir a minha varanda ou vou até às dúzias de bares onde me encontro com amigos para, agora muito em voga, jogar um Quizz [jogo de pergunta e resposta de temática geral].
After-hours; Tamariz, Tamariz,Tamariz…

Uma óptima onda, esta vida de Guincho!

[Pena estar uma ventosga do caraças. Não se aguenta!]

(17) comments

[Top]