<$BlogRSDURL$>

Do mal o menos

segunda-feira, setembro 26, 2005

Visitantes de blogs 



Podemos apaixonarmo-nos pelo autor de determinado blog?
Só posso comparar esta situação quando num livro,
nos apaixonamos pela personagem ou pelo autor.
Em ambos os casos é sempre ficção,
é sempre a nossa imaginação a funcionar.
É imperativa a presença física. O conhecer pessoalmente.

Outra questão que se coloca é que
ao sermos visitados por quem já nos conhece,
há uma tendência para transportarem o que lêem para a vida real.
Ex: - o que escreveste dizia-me respeito?
- li o teu blog, está tudo bem?
- o quê!? Isso aconteceu, mesmo?





Há que separar os dois mundos - virtual e real.
Daí a coerência dos nicks.
O blog é um passatempo e como tal só assim pode ser encarado.
Passem bons momentos a ler os blogs que gostam.
Mas o mundo está lá fora.

Comments:
Que oportuno, Trinta, parabéns!!
O que não falta por aqui são paixonetas pelas palavras de outrém. Sim, já me apaixonei por palavras, mas sempre com a certeza de que muitos, tal como eu, não são quem aqui demonstram. A realidade é na maioria das vezes bem diferente, sim. Beijo.
P.S. Adorei a foto ;)
 
Assino por baixo!O mundo está mesmo lá fora:))!Beijinhos
 
Equilíbrio. É sempre necessário equilíbrio e bom-senso.
Agora até estamos no mês de Balança!
Agora há uma coisa que tenho que te dizer, eu já me "apaixonava" por escritores, ainda a net não existia!?
Não é por isso que vou mudar, há que admirar, e porque não "apaixonarmo-nos" pelas palavras que lemos?
Bjx

PS: A realidade e a ficção são uma só! Nós temos é que escolher as melhores sensações que cada uma delas nos provoca.
 
Ora aqui está um post com um tema que já me tinha passado pela cabeça escrever, mas não o fiz por isso mesmo, por causa do tema. Ou se tem um blog completamente anónimo e, nem mesmo os amigos mais intimos o conhecem, ou de facto, podem confundir o real e o virtual. Muitas das vezes gostaria de publicar Posts sobre aquilo que realmente me vai na alma, mas não o posso fazer, pois não sou Desconhecida para todos e isso implicaria perguntas que não me apetece responder.
Obrigada pela visita, volta sempre.
 
Não estou completamente de acordo, trinta. O mundo está também aqui dentro. E não seriam poucos os casos conhecidos em que, de verdade, a sua realidade é bem pesada de transportar. A blogosfera permite tudo o que dizes. Por detrás dum "nick" podem estar mil intenções... Mas por detrás dum "email" verdadeiro (ou não...), pode haver alguém a necessitar duma simples palavra, ou dum simples sorriso... São "balelas"?... Claro que podem ser...
Mas também acho que seria difícil apaixonar-me pela autora dum livro ou dum filme. Contudo, a autora dum blog é bem diferente. Há por aí autoras "de se lhe tirar o chapéu" que, combinados gostos, maneiras de ser, sensibilidades e algumas coisas mais, poderão encontrar nos seus leitores a sua alma gémea...
 
Trinta, parece-me que colocaste as coisas de uma forma demasiado simplista. Não deixando de haver alguma verdade nas tuas afirmações, esqueceste-te de alguns pressupostos. Por detrás de um nick está sempre uma pessoa. As palavras não aparecem sózinhas. As palavras são - mesmo que não sejam autobiográficas - sempre reflexo de quem as escreve. Mesmo quando se opta por transcrewver coisas de outros/as, estamos a fazer escolhas. Também nos definimos pelas escolhas.
Se me pedisses para te definir, eu fá-lo-ía sem errar muito.
As paixões e o amor não escolhem a forma de aparecerem. Aparecem e pronto.
A vida está lá fora, é certo. Mas esta troca de ideias não deixa de ser vida.
Um beijo
 
... deixa-me ver se me consigo explicar. Não concordo a 100%. Não acho que seja possível apaixonar-me pelo autor de um blog, tal como também não acho que seja possível apaixonar-me por um escritor. Talvez pela personagem criada por este último...

Não acho que seja líquida a separação que fazes entre realidade e ficção, porque esta linha é mto ténue e por mta ficção que exista por detrás de um blog, há sp qualquer coisa de autêntico e verdadeiro e é isso que nos prende, ou será que não?
 
Ora bem... Vamos cá ver... É verdade que nós adquirimos uma certa simpatia por alguns blogs, no entanto, isso não faz com que uma pessoa se apaixone! Salvo as excepções de quem tem carencias, ou está à procura de algo, é claro!
Temos que admitir que isso é possivel mas... vai de cada um saparar o real do virtual.
Bom tema...
Beijo
 
O Coroneu gostou e subscreve! Parabéns pela clareza de expressão deste post :)
 
Por alguém que se apoixone aqui dentro, desd que saiba da virtualidade das coisas esteja consciente, tudo bem! acho que não temos que ser anti-internet, acho que não devemos desvalorizar os encontros queaui se dão, cada um sabe de si, e ha pessoas que se sentem bem a falar por aqui, e só por aqui, então para quê ir la para fora?
 
A minha opinião relativamente a este assunto é muito simples: claro que nos podemos apaixonar por alguém de quem lemos o blog. Obviamente que existe sempre uma distância entre aquilo que escrevemos, entre as ficções que criamos e a pessoa que escreve. Devemos ter isso em atenção.

Mas ao pôr de parte uma pessoa só porque a conhecemos de um blog estamos a reduzir, creio, as possibilidades de sermos felizes. No fundo, fazemos blogs e visitamos blogs dos outros porque há qualquer coisa em comum entre todos nós: gostamos de escrever, de partilhar, de criar algo. Este é um interesse em comum, mas existe a possibilidade de encontrarmos uma pessoa que, para além destas coisas, partilhe uma maneira de ver o mundo, de sentir, de escrever. E aí devemos partir em busca dessa pessoa, como se a tívessemos encontrado na rua ou num bar ou noutro sítio qualquer.

Porque são os blogs diferentes da nossa vida? E não são eles partes de quem somos? Então, não devemos rejeitar aquilo que eles nos proporcionam, porque estariamos a rejeitar-nos a nós próprios e naquilo em que acreditamos.
 
Ora aqui está um tema pertinente!
Claro que somos capazes de nos apaixonar pelo autor dum blog, mas sempre foi assim; pelas palavras que são escritas, pelos sentimentos que são revelados, pelos desejos e sonhos expostos. Sim, apaixonamo-nos pelo que o autor nos diz, e não, e como muitas vezes acontece, pelo autor em si.
São as suas palavras e a sua escrita que nos captam e criam uma ligação e "relação". O que é acontece, e comigo é esse o facto, é que eu tendo a escrever para um Tu, um Alguém, e então quem o está a ler tende a pensar que é para si. E aí é que está a tal ligação directa que nos pode fazer, ou não, apaixonar.
Agora, o que eu não gosto nada é que andando pala rua oiça um grito vindo detrás a chamar-me pelo meu nick. Se o criei foi para me separar de uma certa realidade; dizer coisas que não digo "lá fora"; imiaginar, gritar e sonhar alto.
Mas pronto, nada como continuar no anonimato.
Abraços!
 
E não sei porquê lembrei-me do ditado: "Faz o que eu digo, não faças o que eu faço"...
:-)
 
Pois eu so far so good!
Nada de paixões nem por escritores, nem por personagens, nem por bloggers!
Não por falta de sonho mas por necessidade da existência do ser amado!
 
É claro que sim! E até nem acho mal! O que é preciso é nunca nos esquecermos que o que está no blog é só parte da pessoa, não a sua totalidade.

Por acaso acho que conheço pessoalmente a maior parte dos autores dos blogs que visito. Isso causou em mim ou neles algum retraimento pelo facto de não serem anonimos? Acho que não... Até facilitou a nossa relação.

Mas cada caso é um caso...
 
Trinta,
relativamente à primeira parte, a tua abordagem é a correcta.

Quanto à segunda, depende.
Há blogs pessoais, intimistas; outros há que de passatempo não têm nada, como os de opinião. Aí, a ética pede que os autores se identifiquem.

Un saludo,
António
 
Eu aplaudo!!! Não apenas os blogs mas a internet em geral tem por norma ser um espaço dado à representação. Mas não existem regras sem excepções e é possivel conhecer pessoas boas em todos os locais do mundo. Aqui não deve ser excepção!
 
Duma forma geral, é praticamente impossível um blog não deixar transparecer o que vai na alma do seu autor, ou autores.
Transpor a prosa dum blog para uma paixão assolapada pelo seu autor será mais complicado embora tudo seja possível, e por vezes o encontro de almas ocorrer das formas mais estranhas e divertidas. Bacio
 
A diferença entre a realidade e a virtualidade é fruto da nossa imaginação, e aqui é questá o busilis da questão. A virtualidade fica condicionada à nossa imaginação, pelo que a realidade subjacente a essa virtualidade, pode não corresponder ao iamginado virtual.
A escrita é o veículo mais perigoso para a nossa imaginação, pois ela pode nos levar a determinados sentimentos, que não serão virtuais mas reais, e tão reais que nos podem fazer esquecer a virtualidade do que os provocou.
A admiração de uma escrita pode levar ao amor pelo autor, por a nossa imaginação criar um personagem virtual tal qual nós gostariamos que fosse.
Se é verdade que existe um mundo lá fora, não menos o é que existe outro cá dentro, o que necessitamos é de não os interaccionar, mas vivermos duas realidades separadas. O equíbrio talvez não seja fácil, mas necessário para não termos desilusões.
Um beijo do pai.
 
O mundo está lá fora, mas temos tendencia para o ver por dentro da nossa cabeça.
misturamos o que pensamos, com o que lemos, com o que nos acontece, com o que achamos que os outros pensam.

é preciso parar.

respirar Fundo.

e Viver.


Assim, amiga Trinta, no meu mundo só entra quem deixo, não quem quer.

és bem vinda, amiga.

tinha saudades de te ler.

da minha janela, aquele abraço.

ps: não me esqueci de atirar os tremoços! ;-)
 
Neste mundo dos blogs, há uma coisa que jamais nos podemos esquecer: por mais que se use um nick e se tente não falar de si próprio, chega a uma altura que fica difícil não se dar a conhecer nalguma coisa e com o tempo vai-se aumentando essa dose de transparência.
 
Ola! Passei para te deixar um beijinho. As mundaças interiores têm-me mantido afastada. É que o mundo tbm está dentro de nós e pode ser muito agitado. CHUAC!!!
 
Resumindo e concluindo, todos concordam que este é um meio como outro para nos interessarmos por alguém. Gostei, sim sr :)
 
E eu que gosto de escrever dps te tudo isto ler, sem palavras fiquei, no entanto ainda tenho letras a juntarem-se para dizerem que um blog pode mudar uma vida! A de quem escreve ou de quem lê...
Uma Luz na Escuridão
 
O mundo está sempre ali fora, verdade! Sempre há nossa espera, no entanto, os blogs estão aqui dentro, criados por aqueles que está ali fora...
Pode ser um passatempo, ou não, possivelmente uma harmonia perfeita para aqueles que estão lá fora, abrirem-se com aqueles que estão aqui dentro, sem terem de mostrar o seu sorriso ou a sua tristeza, originado pelo constrangimento, acredito que aqui dentro existem muito mais pessoas que sejam muito mais verdadeiras do que aquelas que estão lá fora!

Mas ainda não quero convencer-me totalmente disso, porque gosto do mundo lá fora…

Beijos
http://babushka.blogs.sapo.pt/
 
Ou apaixonarmo-nos por determinado actor num filme!! É tudo relativo...Beijos, bom fim de semana
 
Eu acho que a paixão é melhor "fora da tela", olhos nos olhos e não dedos nas teclas...

Bjks
 
conheço-te a "alma" e depois o "corpo"? ou a dialectica da acção e do conhecimento?
 
Enviar um comentário

[Top]